Estudos e Governo Federal recomendam Aromaterapia para Sintomas de Estresse

É de conhecimento geral que o estresse (stress) é um dos fatores que mais alteram a qualidade de vida das pessoas na vida em sociedade uma vez que compromete diretamente a saúde física, emocional e mental. As situações ambientais da vida, tais como trabalho, estudo e:

“acontecimentos diários menores e situações crônicas, são classificadas como eventos estressores ou eventos de vida negativos capazes de causar a síndrome do estresse, que é um estado do organismo após ser exposto aos estressores”[1].

 

O estresse afeta seu emprego e todo o mercado de trabalho:

 

Em 2016 mais de 199 mil pessoas se ausentaram do mercado de trabalho no Brasil em razão de moléstias relacionadas ao estresse, tais como depressão, ansiedade, transtornos bipolares e outros transtornos.[2].

 

Como o estresse age no nosso corpo?

 

Quando estamos expostos a situações de estresse, as mudanças físicas “são processadas por um centro nervoso no cérebro, o hipotálamo, alterando o funcionamento de todas as partes do corpo[3]”. Ao passarmos por uma situação estressante, ocorre uma reação em nosso organismo para nos preparar para lutar ou fugir, produzindo adrenalina e corticoides[4].

O problema é que quando permanecemos em constante estado de alerta e estresse, que é o que infelizmente acontece quase que diariamente no cotidiano de grande parte da população, o estado de tensão se torna algo “normal”, e passa-se a tratar com normalidade os sinais de angústia que o corpo apresenta.

 

 

 

Efeitos do estresse na rotina

 

Os efeitos do estresse são cumulativos, visto que o corpo armazena toda a tensão que produzimos. As autoras do artigo científico “Aromaterapia no auxílio do combate ao estresse: bem-estar e qualidade de vida[5] citam como os principais efeitos do estresse:

  • Fadiga crônica,
  • Letargia;
  • Falta de interesse por atividades de lazer;
  • Dificuldade de concentração;
  • Dores de cabeça e distúrbios estomacais;
  • Tensão muscular;
  • Problemas do sono;
  • Aumento do consumo de álcool;
  • Vontade de ficar afastado da família e dos amigos;
  • Irritabilidade;
  • Perda do senso de humor;
  • Crescente pessimismo;
  • Sentimento de insegurança.

 

 

Aromaterapia: O que é?

A aromaterapia é “um complexo de fórmulas terapêuticas que se vale dos princípios ativos dos óleos essenciais extraídos de plantas”[6].  Alguns óleos essenciais são considerados muito eficazes no tratamento do estresse, visto que possuem propriedades antidepressivas, calmantes, relaxantes e sedativas.

Os cheiros aromáticos captados pelo nosso olfato seguem até o sistema límbico do nosso corpo. Nesse sistema existem componentes que estão diretamente associados com

  •         O prazer;
  •         A dor;
  •         A raiva;
  •         O medo;
  •         A tristeza
  •         Os sentimentos sexuais e
  •         Além da memória, dos padrões de comportamento, do aprendizado e da atividade mental. [7]

 

 

Benefícios da Aromaterapia no tratamento do estresse?

 

Diversos estudos indicam que a aromaterapia age na prevenção de males físicos, mentais e emocionais, podendo acrescentar no tratamento de problemas de saúde das mais diversas especialidades médicas.

O significativo crescimento na busca por esta terapia se dá, pois, o tratamento, além de eficaz, é feito de maneira prazerosa aos pacientes, com aromas agradáveis ao olfato.

Um estudo realizado na USP em 2014 concluiu que o tratamento de aromaterapia foi eficaz na diminuição dos níveis de estresse e ansiedade dos alunos de graduação da área da saúde[8].

No mesmo sentido, uma pesquisa realizada na unidade psiquiátrica de um hospital geral concluiu que a massagem com aromaterapia apresentou melhorias no cuidado de enfermagem e no tratamento durante a internação psiquiátrica de pacientes com diagnóstico de Transtornos de Personalidade ao auxiliar na diminuição dos sintomas ansiosos e no enfrentamento do transtorno mental.[9]

 

 

Aromaterapia: Essências e óleos essenciais

Os óleos essenciais, por sua vez, ajudam o pulmão a funcionar melhor e também “são capazes de passar diretamente deles para a corrente sanguínea, que os transporta para o corpo todo. Uma vez no sangue, esses óleos podem gerar efeitos sobre qualquer órgão pelo qual passem e promover ação revitalizante.”. [10]

Por meio dos óleos essenciais utilizados na aromaterapia, o paciente irá apreciar emoções positivas, tais como felicidade e alegria. A fragrância é capaz de melhorar o humor, trazendo a sensação de bem-estar, reduzindo, consequentemente, o estresse.[11]

Importante

Vale lembrar que os óleos que trazem benefícios eficazes à saúde são os 100% naturais e puros, sem misturas de solventes ou outros componentes químicos, por isso é de extrema importância conhecer a procedência dos mesmos, visto que às vezes é difícil de diferenciá-los.

Para cada manifestação patológica existem diversos óleos essenciais capazes de produzir o efeito terapêutico desejado.

 

Recomendamos, portanto, que converse com um(a) aromaterapeuta pois os óleos, se utilizados de forma errada, podem provocar sensibilizações diversas.

 

 

Aplicações da Aromaterapia

Existem diversas modalidades de tratamentos aromaterápicos, tais como

 

  •         Massagens,
  •         Compressas,
  •         Inalação, através de difusores;
  •         Banhos;
  •         Digeríveis – mas não é tão comum.

 

 

Essências e óleos essenciais para Aromaterapia

Há centenas, os mais comuns são:

  •         Lavanda;
  •         Alecrim;
  •         Melaleuca (tea tree);
  •         Laranja doce;
  •         Gerânio;
  •         Cravo e
  •         Menta.

 

O Governo Federal já reconheceu a importância da Aromaterapia e a incluiu como procedimento oferecido pelo SUS, conforme já relatamos aqui: Ministério da Saúde anuncia aromaterapia, florais e bioenergética entre 10 novos procedimentos no SUS.

 

Produzido por:

 

 

Mariana Asterito

Estudiosa do universo de práticas de saúde, advogada, praticante e graduanda de Yoga.