Meditação

Como você se conecta com o espiritual?

Não existe uma formula única… e nem uma formula certa. Existe a melhor maneira para você. Que inclusive pode mudar no decorrer do tempo, já que todos nós mudamos a cada dia.

Há quem se conecte quando vai na igreja, num centro espírita… ouvindo uma música, falando com pessoas… meditando.

Hoje eu vou falar um pouco sobre minha experiencia com meditação.

Já meditou alguma vez?

Com qual objetivo você começou a meditar?

Se não medita, tem curiosidade? O que move essa curiosidade?

Vamos começar do começo! O que é meditação?

O dicionário define:

1. ato ou efeito de meditar, de pensar com grande concentração de espírito.

2.

RELIGIÃO

exercício espiritual que prepara para a contemplação.

3.

RELIGIÃO

prática de concentração mental que se propõe a levar, através de uma sucessão de estágios, à liberação espiritual dos laços do mundo material.

4.

POR EXTENSÃO

hábito de pensar.

Interessante né?

Eu me interessei por meditação por outro motivo. Não pensava em conexão espiritual. Tava longe de pensar isso.

Eu pensava em me desestressar. Na época eu trabalhava em uma empresa que me levou perto de um limite de stress. A ponto de dar alteração em exame de sangue no meu nível de cortisol (hormônio do stress). Beirando o desespero eu busquei uma escola de meditação (fiz a meditação mindfulness) para tentar me acalmar no meu ambiente de trabalho, e consequentemente na vida.

Para aprender a meditação mindfulness frequentamos as aulas por 8 semanas.

O objetivo dessa meditação é aprender a perceber pensamentos, sensações corporais e emoções no momento em que ocorrem, sem reagir de maneira automática ou habitual. Com isso, aprendemos a fazer escolhas mais conscientes e funcionais, influenciando positivamente na maneira como lidamos com os desafios cotidianos. Aprendemos a regular as emoções desafiadoras e criar espaço mental, mesmo em circunstâncias difíceis.

Eu virei a louca da meditação! Ia trabalhar, chegava no serviço, ia pro banheiro e meditava. Algo me tirava do sério, ia pro banheiro, e meditava. E por aí vai.

Aos poucos fui me tornando mais tranquila e olhando para os acontecimentos da minha vida de uma maneira mais leve. Observava a mim mesmo de forma amorosa e compreensiva (meu olhar para os outros também mudou). Consequentemente, fui meditando menos, pois me sentia mais equilibrada por mais tempo.

A meditação foi muito importante para mim! Consegui me centrar e iniciar meu processo de autoconhecimento.

Aos poucos eu fui mudando o formato dela.

Onde antes eu praticava o mindfulness (e ainda pratico ocasionalmente), hoje eu também utilizo a meditação com os símbolos do Reiki, medito ouvindo mantras, utilizo cristais… e sempre vou adaptando essa meditação às minhas necessidades. Busco a amorosidade nesse movimento, obviamente. Existem dias em que não consigo meditar, devido cansaço, ou confusão mental… enfim… quando isso acontece procuro não ficar aborrecida, pois uma meditação onde exigimos um resultado que não alcançamos, nos traz apenas frustração.

Hoje sim, também utilizo a meditação como forma de conexão espiritual, com meu Eu Maior.

Já sinto que está na hora de uma nova mudança em minha prática. Digo isso pois existem momentos em que deixo de meditar. Quase como se fosse uma perda de interesse. Nesse momento sei que preciso reinventar minha pratica. Novamente, sem cobranças e exigência de que a prática seja de um jeito específico.

E você? Me conta da sua experiência!

Sem categoria
Deixe uma resposta